Declaração de Princípios

Apesar do sucesso inegável do estabelecimento e desenvolvimento do moderno Estado de Israel, o povo judeu, os cidadãos de Israel e o Estado de Israel continuam a ser vítimas de inúmeros ataques difamatórios, terroristas, militares, económicos, diplomáticos, e de muitas outras formas de violência discriminatória, originários da ignorância e do ódio mais irracionais que continuam a tolher a humanidade 75 anos depois da Shoah que vitimou 6 milhões de judeus no nosso continente.

Consideramos haver necessidade de intervenção informativa para equilibrar a frequente acção  tendenciosa realizada por alguns órgãos de informação.

Somos portugueses e portuguesas de diversas origens, crenças e ideologias solidários contra a violência infligida sobre o povo judeu e os cidadãos de Israel e decidimos criar a Associação Lusa Portugueses por Israel. Temos o objectivo de unir esforços para a promoção da educação e justiça para Israel e para a construção de uma relação mais forte entre Portugal e Israel.

Princípios e Valores

  1. Direito à autodeterminação nacional do povo judeu.

A A.L.Portugueses por Israel (ALPI) reconhece o direito inalienável da nação judaica ao seu próprio Estado soberano na sua terra ancestral onde o povo judeu se formou como nação há mais de 3000 anos e onde sempre lutaram por regressar apesar de todos massacres e deportações, tendo estabelecido o moderno Estado de Israel em 1948.

  1. Direito à segurança dos cidadãos de Israel.

A A.L.Portugueses por Israel reconhece o direito humano fundamental dos cidadãos de Israel de viverem em liberdade e segurança no seu país, assim como em deslocações no estrangeiro, livres de ameaças e de ataques psicológicos, terroristas, militares ou qualquer outra forma de violência pela condição de serem cidadãos de Israel.

  1. Reconhecimento do anti-sionismo como forma de anti-semitismo

A A.L.Portugueses por Israel reconhece o anti-sionismo como uma das formas modernas de anti-semitismo, as quais têm de ser combatidas, pois trata o Estado Judaico de forma discriminatória e excludente em comparação com outros países, sendo comumente materializada através de ações de negação, difamação, demonização e boicote do Estado de Israel.

  1. A A.L.Portugueses por Israel seguirá as determinações consignadas pela IRHA-International Holocaust Remembrance Alliance.)
  1. Valorização da relação Portugal-Israel.

A.L.Portugueses por Israel considera a relação entre a República Portuguesa e o Estado de Israel, assim como entres os cidadãos de Portugal e de Israel, como uma ligação de enorme valor e potencial que deve ser cultivada e aproximada para benefício de ambas as partes.

Objectivos

  1. Educação.

A ALPI promoverá estratégias de educação, alertas e sensibilização sobre a História de Israel e do povo judaico assim como sobre as ameaças e ataques de que os cidadãos de Israel e o povo judeu sofrem.

  1. Justiça e Igualdade.

A ALPI exigirá e lutará por um tratamento justo e igualitário de Israel e dos seus cidadãos em todos os planos, nomeadamente no plano cultural, político, desportivo, económico, assim como na imprensa.

  1. A ALPI  irá interagir com instituições democráticas internacionais nomeadamente a IRHA, no sentido de amplificar a voz pelos direitos dos Judeus e do Estado de Israel.
  1. Promoção da relação Portugal-Israel.

A ALPI desenvolverá esforços no sentido de promover intercâmbios e cooperação Portugal-Israel em todos os âmbitos, designadamente na educação, cultura, ciência, segurança e economia, entre outros.

%d bloggers like this: